Home / Blog / 6 estratégias para se proteger de ciberataques no setor público

6 estratégias para se proteger de ciberataques no setor público

6-estrategias-para-se-proteger-de-ciberataques-no-setor-publico

A segurança da informação é um fator primordial para a administração pública, que trabalha com dados sensíveis dos cidadãos e informações estratégicas para o Governo. Com o aumento dos dispositivos usados para conexão à internet, o desafio de evitar ciberataques no setor público se tornou ainda maior.

Um dos motivos é que não apenas os funcionários utilizam a rede de uma repartição (secretaria, autarquia, hospital, banco etc.), mas também fornecedores e usuários dos serviços. Nesse cenário, ter uma política de preservação dos dados bem definida é crucial para evitar invasões e vazamentos.

Neste post, vamos destacar os fatores que impactam na cibersegurança e na preparação dos órgãos públicos contra os ataques. Também vamos apontar 6 estratégias para evitar a ação de hackers. Confira!

Quais são os principais desafios de segurança digital no setor público?

Os desafios da administração pública para manter um alto nível de disponibilidade das informações são muito semelhantes aos enfrentados pela iniciativa privada. Um deles é a velocidade da evolução das tecnologias utilizadas pelos cibercriminosos. Isso exige que haja um foco na atualização nos métodos de segurança dos dados.

Outro aspecto preocupante é o nível de complexidade dos ataques que estão se tornando cada vez mais sofisticados. É fundamental que haja uma análise constante das ameaças virtuais, pois essa medida permite analisar tendências e antever práticas que podem ser adotadas nos ciberataques.

A administração pública também precisa ser mais ágil ao detectar incidentes e implementar ações para minimizar os efeitos dos crimes virtuais. Para isso, é indispensável o investimento em tecnologia da informação e no treinamento da equipe de TI.

Mesmo que haja uma boa infraestrutura e funcionários capacitados em segurança da informação, o setor público necessita também conscientizar todos os colaboradores da necessidade de preservar os dados institucionais.

Sem dúvida, os servidores públicos precisam ter muito cuidado para não adotarem práticas nocivas contra a segurança da informação (cliques em links duvidosos, uso de pen drives sem utilizar antivírus etc.).

Como a visibilidade dos cibertataques no setor público é maior, alguns hackers preferem atacar sites e sistemas de instituições governamentais. Essa postura faz com que os cuidados com a segurança da informação sejam uma prioridade para os gestores públicos.

As instituições públicas estão preparadas para se proteger dos novos ciberataques?

Em maio de 2017, o ciberataque Wanna Cry, ainda que não direcionado ao setor, afetou diversos órgãos públicos no Brasil. Ele consistiu em um ransomware (ameaça que impede as vítimas de acessarem as informações, propiciando ao hacker uma cobrança pelo resgate).

Além disso, fez com que o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) fechasse agências devido a invasão a computadores do órgão.

Para garantir a integridade dos dados, a Petrobras, o Poder Judiciário em vários Estados (São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina etc.), o Itamarty e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tiveram que tirar os sites do ar.

Essa situação mostra que a administração pública possui alguns desafios para enfrentar ataques virtuais de grande porte. A padronização de normas de segurança e fiscalização do comportamento dos funcionários sobre as práticas necessárias para evitar as ações de cibercriminosos são alguns deles.

Em virtude da visibilidade que as instituições públicas possuem, burocracia e complexidade da estrutura organizacional, o setor é mais vulnerável a invasões do que algumas empresas privadas.

Quais são as principais recomendações para combater ciberataques no setor público?

Há uma série de procedimentos para aumentar o nível de segurança das informações na administração pública. Pensando nisso, vamos apresentar 6 estratégicas que vão ajudá-lo a preservar os dados de forma mais eficiente e eficaz. Acompanhe!

1. Crie e divulgue a política de segurança da informação

Não basta apenas elaborar regras atuais e práticas para enfrentar os ataques cibernéticos. É essencial que os colaboradores sejam informados e compreendam como funciona a política de segurança da informação.

Ela é importante para os funcionários adotarem práticas, como:
 

  • criar uma senha mais segura;
  • evitar clicar em links de origem duvidosa;
  • procurar sempre utilizar softwares confiáveis.

Ao investir em conscientização, serão menores os riscos de ciberataques por causa do por comportamento inadequado dos empregados.

2. Utilize sistemas atualizados

Muitos ataques virtuais afetam as organizações públicas e as privadas, porque não há um investimento na aquisição de versões atualizadas dos sistemas usados para executar diversos serviços.

Atualmente, os hackers podem localizar, com facilidade, diversas falhas em um sistema. Ao explorar uma vulnerabilidade de um software, um cibercriminoso pode interromper as atividades dos órgãos públicos por algumas horas. Sem dúvida, gera um dano à imagem da instituição e prejudica o atendimento aos cidadãos.

Por isso, é muito importante que a equipe de TI esteja atenta ao uso de pacthes (atualizações dos sistemas). Caso essa medida não seja aplicada, a possibilidade de sucesso dos ataques será bastante elevada, o que é muito ruim para qualquer instituição.

3. Priorize os backups de arquivos críticos

Para minimizar os efeitos de um ransomware e de outros ataques virtuais, uma medida inteligente é fazer o backup dos arquivos, com foco nos mais importantes.

Com as informações estando disponíveis em meio offline, elas estarão mais seguras contra os ciberataques. O ideal é que os backups sejam feitos com periodicidade para que os dados copiados estejam atualizados.

4. Invista na proteção da rede wi-fi

É comum funcionários e clientes acessarem a rede wi-fi de um órgão público. Para evitar invasões, é essencial implantar firewalls e contar com uma equipe qualificada e disponível para monitorar o funcionamento e fazer as manutenções necessárias.

À medida que as ameaças são percebidas com antecedência, mais fácil será adotar as iniciativas corretas para enfrentar as ações dos cibercriminosos.

5. Invista na educação da equipe

O trabalho de conscientização dos funcionários deve ser feito de maneira constante. Sempre é importante lembrar aos colaboradores das principais ações para prevenir ciberataques no setor público.

Também é muito importante investir na equipe de TI para que os empregados do setor possam passar as informações necessárias aos demais colaboradores de maneira simples e didática.

6. Tenha cuidado com os dispositivos móveis

Não basta apenas ter cuidado com as redes e os sistemas utilizados pelas organizações. Hoje, é essencial adotar uma política de segurança que estabeleça o uso adequado dos dispositivos móveis.

Para que os aparelhos sejam usados de forma adequada, a equipe de TI deve incentivar práticas, como:
 

  • o uso do antivírus;
  • a proibição de instalação de apps de origem duvidosa;
  • o respeito às regras para o compartilhamento de dados.

Como implementar essas recomendações?

Para adotar as melhores práticas contra ciberataques no setor público, é interessante avaliar a possibilidade de contratar uma empresa especializada em serviços de segurança da informação.

Há também empresas que prestam consultoria nessa área e que podem contribuir para a melhoria de processos e indicar os melhores investimentos em softwares e hardwares, priorizando a integridade e a disponibilidade dos dados.

Para um órgão público ter ações eficientes contra os ataques de hackers, é indispensável investir na capacitação dos funcionários de TI e entender que a segurança da informação é crucial na oferta de boa qualidade para os cidadãos.

Se você quer mais informações sobre como prevenir ciberataques no setor público, a dica é assinar, agora mesmo, a newsletter da Suntech. Estamos à disposição para prestar um atendimento de alto nível para a sua organização!

Por Luciana Fernandes


As opiniões e conteúdos expressos neste blog são responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos e não representa a opinião da Suntech S.A./Verint.


Fique por dentro!

Receba informações exclusivas e aprofunde seu conhecimento.




Sociais