O que é Consciência Situacional?

consciencia-situacional

O conceito de Consciência Situacional é recorrente em discussões sobre as características de uma boa equipe na segurança pública. Com a transformação digital e o surgimento de novas tecnologias de suporte para esses times, sua relevância se tornou ainda maior, já que o uso de soluções digitais para potencializar sua ação é uma tendência que vem ganhando espaço.

Mas, afinal, o que é Consciência Situacional? De que forma esse conceito se aplica ao âmbito da segurança pública? Qual a sua relação com a tecnologia? É possível alcançar resultados melhores com as ferramentas certas?

Este artigo é a sua oportunidade para entender definitivamente o assunto. Confira!

O que é Consciência Situacional?

O conceito de Consciência Situacional se refere à capacidade, de um indivíduo ou time, de tomar decisões eficazes em situações de adversidade. De forma mais específica, ele considera como fatores relevantes a percepção e a compreensão dos eventos, além da capacidade de elaborar previsões sobre os resultados de uma ação, tendo em mente a dinamicidade e a criticidade do momento.

Em outras palavras, a Consciência Situacional pode ser compreendida como a precursora do processo de tomadas de decisão. Logo, mantê-la diante de situações de emergência exige daquele grupo ou indivíduo um grande esforço cognitivo. Afinal, é preciso se manter alerta não só à natureza da situação atual, mas trabalhar constantemente — e com agilidade — na busca por soluções eficazes.

Isso significa desenvolver hipóteses sobre o que acontecerá depois de cada possível ação tomada. Além disso, vale destacar que o grau de emergência da situação varia de acordo com sua natureza.

Não é à toa que o conceito é amplamente discutido no âmbito da segurança pública, uma atividade que envolve uma série de tomadas de decisão impactantes. Porém, como exatamente isso acontece?

Como a prevenção ao crime se beneficia da Consciência Situacional?

As especificidades do trabalho na segurança pública fizeram com que esse conceito rapidamente fosse assimilado à rotina das equipes. No trabalho de campo, por exemplo, é fundamental manter um nível contínuo de atenção no ambiente ao redor. O objetivo é identificar potenciais ameaças ou situações perigosas em geral, para que eventuais providências não sejam fruto de puro improviso.

Essa característica da Consciência Situacional faz dela uma técnica que pode ser amplamente utilizada. Entretanto, o que vemos atualmente é uma evolução desse conceito.

Algumas aplicações

No setor aeronáutico e de transporte aéreo, a Consciência Situacional é aplicada por meio de um conjunto de soluções tecnológicas que captam os dados das aeronaves e os centralizam em um sistema do aeroporto. A todo momento, os pilotos — no solo ou em voo — devem manter a conexão com o canal que transmite os dados essenciais de tráfego.

Isso permite que eles mantenham um nível de Consciência Situacional em um ambiente no qual não há espaço para erros. Outro exemplo interessante são as equipes de investigação e os centros de inteligência, ambos ligados à segurança pública. Neles, o conceito funciona como uma estratégia de análise de dados.

Nesses espaços, a informação é tratada de forma muito especial. Isso significa que há um cuidado metodológico na coleta, organização e análise dos dados. Grosso modo, o objetivo é correlacionar informações e compreender melhor uma situação para gerar insights.

Com a aplicação da Consciência Situacional, é possível elencar um número maior de fatores que podem influenciar no objeto de trabalho: uma investigação, uma estratégia de segurança de uma região ou de prevenção a roubos, etc.

Para colocar isso em prática, no entanto, é necessário contar com ferramentas específicas que viabilizem a gestão dos dados.

Como a tecnologia pode ajudar?

Órgãos públicos de defesa, agências de inteligência e as demais instituições de segurança pública precisam de agilidade, tanto nas operações táticas quanto em processos mais estratégicos. São atividades de alto risco, o que traz consigo a necessidade de aplicar a Consciência Situacional com excelência.

No entanto, lidar com um grande volume de dados e transformá-los em informação relevante é um grande desafio para a cognição humana, especialmente quando isso exige ação em tempo real. Nesse sentido, é aí que entra a tecnologia.

Seu papel na segurança pública é promover um ambiente digital no qual os dados são armazenados e processados, gerando insights fundamentais para a manutenção da Consciência Situacional. Em outras palavras, trata-se do uso estratégico de uma ferramenta tecnológica que potencializa a percepção instantânea das equipes em uma determinada situação.

Soluções de Consciência Situacional

Um bom exemplo de sucesso desse tipo de estratégia é o uso das soluções de Situational Awareness presentes em nosso portfólio. O objetivo dessas soluções é dar mais agilidade de resposta e aumentar a eficiência das equipes táticas e estratégicas.

Com elas é possível coletar dados em tempo real para embasar tomadas de decisão mais eficazes. Os dados podem ser provenientes de áudio, vídeo, redes sociais, controle de acesso, geolocalização e diversas outras fontes de informação.

A eficiência dessas tecnologias não está no oferecimento de um volume gigantesco de dados, mas na capacidade de transformá-los em conhecimento relevante, ou seja, em uma base confiável para a tomada de ação. Vamos a um exemplo prático?

Resposta ágil a ameaças

Por meio dos dados coletados e um mapeamento dos crimes mais comuns, a equipe de segurança pode definir locais da cidade nos quais colocar câmeras inteligentes. O sistema, então, pode monitorar esses locais em tempo real e cruzar os dados das câmeras com outras funcionalidades.

Se uma movimentação suspeita é identificada como risco de assalto, um alerta é emitido para a equipe. A quantidade de suspeitos pode ser informada, assim como a natureza da ameaça. Com esses dados, é possível decidir rapidamente se o melhor a se fazer é enviar uma equipe tática e definir quantos agentes são necessários.

De forma similar, é possível estabelecer uma estratégia de monitoramento de redes sociais para identificar possíveis zonas de assalto, regiões com maior incidência de acidentes, focos de manifestação ou áreas afetadas por desastres naturais, por exemplo. Trata-se de uma forma de lidar com os dados que vai muito além da capacidade humana. Não é à toa que a segurança é um dos pilares das cidades inteligentes (smart cities). O tempo de resposta se torna muito menor e os órgãos de inteligência podem otimizar o uso dos recursos à disposição.

A tecnologia desempenha um papel central na aplicação da Consciência Situacional. Com soluções de qualidade, como você pôde ver, a segurança pública é elevada a um novo patamar de eficiência. Vale a pena conhecer melhor essas ferramentas e colocá-las para trabalhar a favor da sociedade!

Se quer saber como isso pode ser feito, entre em contato com a Suntech e fale com quem é referência na implementação de soluções de segurança!